Translate

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Todos nós somos biodegradáveis



À sombra
do imponderável guarda-chuva sem pano
do Criador desleixado,
moramos sem guarda-soleiro à vista
que nos ajude a resistir
a furacões, secas
e demais anomalias climáticas
por Ele
ou pelo seu braço armado enviados.
Impotente
face ao Homem
que do barro Ele nos impingiu
em duas tentativas
[eventualmente falhadas],
temo tão-só que o acaso me tenha concedido
o contento e o inverso por destino.
Da certeza do ser,
nada mais tenho que as incertezas da vida
que o Criador nos legou,
já que o sustento da paz
e do ambiente
só respeitando os outros
e a biodiversidade
porque Ele não terá como nos sustentar
[nem sequer é biodisponível
e todos nós somos biodegradáveis].



Jaime Portela


48 comentários:

FILOSOFANDO NA VIDA Profª Lourdes Duarte disse...

Amigo Jaime, obrigada pela atenção sempre comentando as participações lindas do poetizando e encantando. Seja bem vindo ao nosso blog. Que o Menino Jesus abençoe e ilumine
os carinho que percorreremos no ano novo, 2018.
Que saibamos agradecer o dom da vida
E que continuemos o caminho
com serenidade, amor e alegria,
Que sejamos felizes!
Feliz Ano Novo e parabéns por mais essa bela poesia!

Genilda Maria da Silva disse...

Amigo Jaime, uma bela poesia, usa metáforas com rimas perfeitas. Parabéns! Grata pela visita. feliz Ano Novo!

Existe Sempre Um Lugar disse...

Votos de Ano Novo Repleto de Felicidade
AG

Daniel Costa disse...

Jaime Portela
Somos os biodegradáveis, como tudo da vida, só que como racionais temos de saber disso. Que em pó nos vamos transformar, disso ninguém dúvida.
Boa entrada de 2018.
Abraço

Vanessa disse...

Adorei o poema meu querido Jaime, é repleto de beleza e reflexão. Gostaria de te desejar um 2018 Que seu ano recheado de amor, paz, saúde e prosperidade!
Tenha uma ótima quinta feira.

Elvira Carvalho disse...

Um belo poema, como já é hábito nesta casa.
Abraço


Estou de volta.
Desejo Um Feliz 2018. Com saúde e alegria.

SOLIDARIEDADE disse...

Prezado Jaime, que bela reflexão existencial das relações criador e criatura. Abordagem muito bem desenvolvida. Parabéns.
Um abraçoe e votos de um belo ano de 2018

Manuel Veiga disse...

"nem sequer é biodisponível
e todos nós somos biodegradáveis"

caro Jaime Portela,
de facto é melhor sermos nós os humanos, cá em baixo, a cuidar da
da vida

excelente poema,

Bom Ano

abraço

Andreia Morais disse...

Os seus poemas deixam-me sempre a refletir. Adorei!

r: Sim, independentemente de não se gostar dela, a verdade é que a Cristina Ferreira não fica à espera que as coisas lhe aconteçam.

Agradeço e retribuo os votos, também eles extensíveis à sua família

Pedro Coimbra disse...

Aquele abraço, que 2018 seja um ano Fabuloso!

BETONICOU disse...

Oi jaime! Como sempre belo e gostoso de se ler. Adorei as metáforas e a filosofia, aqui muito bem gravadas dentro dos lindos versos. Temos postagem nova por lá! abraço amigo.

BETONICOU disse...

Como sou lesado! Amigo Jaime desejo-lhe um 2018 repleto de bençãos! Obrigado pela tão agradável presença em Curvas, retas e esquinas. Que venha o ano seguinte , porque quando se tem companheiros fica mais fácil a mudança. Abraço.

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Jaime. A falibilidade humana existe. Não fomos criados assim, nos tornamos por meio da desobediência, isso para quem crê. No entanto, concordo que o respeito ao próximo nos dá paz, a tão almejada.
Nosso mundo externo e interno sempre estará envolto por dúvidas e essas nos fazem raciocinar, julgar o que queremos nos levando ao mover diário. Faz parte.
Parabéns pelo seu belo trabalho poético.
Amei!
Tenha um excelente 2018 , com saúde, paz, amor e muita luz.
Beijos na alma.

Gil António disse...

Adorei ler.
.
Passando, vendo, lendo, elogiando, anunciando:
.
Tema: *Geladas gotas na dor da separação*
.
E desejando:
.
Que o Ano Novo de 2018, entre na sua vida através da porta do coração, trazendo: Saúde, Fraternidade, Paz, Amor, gosto pela Partilha.
FELIZ ANO NOVO

Marta Vinhais disse...

Não há certezas...
Ou melhor, a unica certeza que temos é que o que fazemos reflecte-se em nós...
E o respeito por nós, pelos outros e pelo que nos rodeia é esquecido...
Belo poema...
Obrigada pela visita
Bom Ano
Beijos e abraços
Marta

Cidália Ferreira disse...

Muito bom!

Beijo-Bom fim de semana

Feliz 2018

Beijaflor disse...

Existem verdades indesmentíveis
Neste mundo tao descaraterizado
Não existindo nascentes plausíveis
Que o façam andar para outro lado!

Bom ano 2018

Abraço



Josélia Micael disse...

Olá amigo!
Adorei ler o seu poema, continuo pensando que a vida apesar de tudo não é em vão, que é bom viver, embora os nossos caminhos sejam muitas vezes muito difíceis de entender; mas é aí que está o mistério!
Quero agradecer seus belos comentários, muito obrigada.
E lhe desejo um Bom Ano de paz, saúde, que tudo seja para si uma bênção do Senhor!
Beijo de amizade Fraterna
Josélia

M. disse...

E, portanto, ecológicos ;)
Jaime, beijinhos e feliz ano novo!!!

© Piedade Araújo Sol disse...

JP

um poema forte e no entanto é mesmo isso, tudo e todos somos biodegradáveis :(

obrigada pelas visitas ao meu espaço e pelas palavras generosas deixadas por lá

agradeço e retribuo os votos de bom ano de 2018

feliz ano novo

beijinhos

:)

Ontem é só Memória disse...

tens toda a razão!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

Pedrasnuas disse...

Felizmente somos biodegradáveis, a carcaça pesa e não tem utilidade. A alma leve ascende e segue o seu caminho. As intempéries é da exclusiva culpa do homem. " Quem semeia ventos colhe tempestades" . Nem tudo na vida são incertezas. Sim, o respeito é sinónimo de paz por todas as criaturas à face da terra! Sentiria uma enorme felicidade se o ser humano aprendesse o verdadeiro significado das palavras respeito e amor! Tudo o que li e conheço sobre Deus e Jesus Cristo fascina-me ! E falta-me saber tanto, provavelmente saberei quando partir.

Jaime, continuações de Boa Quadra Festiva. Abraço e Bom Ano 2018

luar perdido disse...

Querido amigo, Jaime, um poema de fazer pensar.
Somos todos biodegradáveis, é a nossa condição, e ainda bem que assim é. Imaginemos que éramos como os sacos de plástico!! pobre planeta, já tão causticado. Ao menos assim, chegando o nosso limite de préstimo, não poluímos mais.
No entanto por trás destas palavras,fabulosamente compostas está uma verdade bem mais dura e amarga. Adorei o poema, meu amigo. Magistral!

Votos de um FELIZ e COMPLETO 2018

Beijo de luar

Olinda Melo disse...


Somos perecíveis, somos um "bem" perecível. É essa a nossa condição.
E assim, deveríamos visualizar-nos a cada instante, trazendo
para junto de nós a humildade e a certeza de que a vaidade e a
"vã cobiça" não nos serve de nada, chegado o momento crucial
em que temos de viajar para outras paragens.

Meu amigo, um belo poema que nos obriga a uma reflexão, ainda
mais nesta altura do Ano.

Um Bom Ano Novo, caro Jaime Portela.

Abraço

Olinda

Graça Pires disse...

Que o teu Ano de 2018, seja um ano bom e te traga tudo o que mais desejas. Obrigada pelo carinho de sempre.
Um beijo.

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Sublime!
Aproveito para deixar um abraço com votos de um excelente 2018!
Rui Olhar d'Ouro - bLoG
Olhar d'Ouro - fAcEbOOk

Menina Marota disse...

"...ninguém fica cá para semente..." dizia o meu Avô. Se o Planeta já se queixa e bem... imaginemos se não fossemos biodegradáveis...

FELIZ 2018

Um abraço

Os olhares da Gracinha! disse...

Ainda bem que somos!!!
Obrigada por ter partilhado momentos comigo!!!

Num fugaz instante
a passagem do ano é feita com alvoroço em:
sonhos delineados
… projetos traçados …
vontade de recomeçar!!!
Especialmente para si:
todas as cores da VIDA
… muita alegria para sorrir …
muito momento para emocionar
… alguma cumplicidade para partilhar …
sucesso(s) para dividir
e sobretudo AMOR para dar!!!

AFRODITE disse...



Amigo JAIME

Venho trazer (para ti e para os teus) votos de um...


……………¨💚*⭐💙,

………,•⭐´……………´*⭐

..….*💜……………………… .*-:¦:-*…

….•⭐………………FELIZ .. 2 0 1 8...

…*💚…………………………¨💜*✫💙…

•⭐…………………………Muitos beijinhos ..

💙…………………………………Afrodite 🌸

rosa-branca disse...

Somos todos realmente e muitas vezes descartáveis antes do tempo. Querido poeta, feliz Ano Novo junto de quem mais amas. Beijos com carinho

Ana Freire disse...

Vivemos, neste mundo... de uma forma tão inconsciente, sem zelarmos por ele... como se tivéssemos outro mundo onde viver...
O nosso egoísmo e inconsciência, deixará um pesado legado, para as gerações vindouras... mas nós.. nem o instinto de preservação da própria espécie, parecemos conservar...
Um belíssimo poema, com uma temática bastante pertinente... e crescente de importância, a cada ano que passa... já que as alterações climáticas, vieram para ficar...
Deixo um beijinho, e os meus votos de um muito feliz 2018, para si e todos os seus, Jaime... com muita saúde, alegria, afectos, projectos literários... e muita inspiração...
E em 2018... por aqui nos encontraremos todos!...
Tudo de bom! Feliz Ano Novo!
Ana

Cidália Ferreira disse...

Desejo-vos de coração, para 2018:
.

Paz
Amor
União
Saúde
Alegria
Partilha
Amizade
Harmonia
Esperança
Humildade
Sinceridade
Prosperidade

E MUITO MAIS.... SEJAM FELIZES

Odete Ferreira disse...

Na impossibilidade de o ter feito antes, desejo que a quadra natalícia tenha sido vivida em plenitude pessoal e familiar e que o eco das Boas Festas se faça sentir no hoje e sempre. Formulo, agora, os meus sinceros votos para que o ano de 2018 se cumpra em conformidade com os teus desejos.
Com afeto, deixo um bjinho
(Neste poema, a nota da tua insurgência. Excelente, amigo)

Andreia Morais disse...

Desejo-lhe um ano maravilhoso, extensível a toda a família!

Lune Fragmentos da noite com flores disse...

Um texto poético que redimensiona a nossa verdadeira essência.

Bom Ano 2018! Tudo de Bom, mesmo!
Abraço,

Ana Tapadas disse...

Poema-reflexão muito interessante!

Meu amigo, desejo um excelente 2018! Muita saúde!

Beijo

Tais Luso disse...

Somos tão biodegradáveis que o mais vagabundo dos mosquitos nos aniquila. Mas a vida é essa, é dureza e temos de aceitar nossas limitações. Nada é tão encantador. A vida em si é maravilhosa, mas o mundo, seus habitantes... ficam a desejar.
Querido amigo, também já voltando à blogosfera para rever os blogs amigos.
Beijo.

Brisa disse...

Meu querido amigo Jaime

Ao ler-te fizeste-me recordar no tempo......"sem guarda-soleiro á vista..."
Magnífico este texto...é verdade,as incertezas da vida,vivem connosco.

Estimo que a tua passagem de ano tenha sido boa...Desejo-te um Bom 2018

Bjo

Rosa Carioca disse...

UM 2018 CHEIO DE TUDO DE BOM!!!

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

O fim, é biodegradável. Boa reflexão poética.
Um bom Ano, Amigo.


Abraço
SOL

Maria Rodrigues disse...

Um poema sublime!
Meu amigo desejo-lhe um Bom Ano pleno de tudo o que mais desejar.
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

RECOMENZAR disse...

tus metáforas
tu idioma son un canto de palabras donde trasmites cada uno de tus sentimientos.Un abrazo desde Miami

Rita Freitas disse...

Um feliz ano novo cheio de poesia. Abraço

Rita Freitas disse...

Um feliz ano novo cheio de poesia. Abraço

Jaime Portela disse...

*******************************************************************************
Caros amigos, obrigado pelos vossos comentários. Voltem sempre.
Entretanto, acabei de publicar um novo poema. Espero que gostem.
Continuação de boa semana e o desejo de um BOM ANO para todos,
extensivo à família e amigos.
Saudações poéticas.
*******************************************************************************

Érika Oliveira disse...

Um excelente 2018!!

A Nossa Travessa disse...

Caro Jaimamigo

Um poema cheio de actualidade. Gostei muito!

Um abração de Feliz Natal e bom Ano Novo e Dia de Reis do teu grande amigo

Henrique, o Leãozão


tenho forçosamente de te explicar o motivo da minha longa ausência: Tive uma recaída da bipolar durante quase um ano e começada em Goa! tenho um irão com um cancro em fase terminal! Eu próprio Há cindo dias baixei ao Hospital de Santa Maria com uma pneumonia agravada. Resultado. estive lá oito dias até que me deram alta. Arreporra que é demais

Teresa Almeida disse...

Sem proteção e biodegradáveis. Eis o que somos!

Entretanto vivamos cada momento como se fosse o último.

Muito bom poema, Jaime.

Beijinho.